Lázaro foi atingido com pelo menos 38 tiros; polícia atirou 125 vezes

O boletim de ocorrência sobre a captura de Lázaro Barbosa informa que a polícia atirou 125 vezes durante a ação. De acordo com a Secretaria de Saúde de Águas Lindas de Goiás, o fugitivo foi atingido com pelo menos 38 tiros, mas só a perícia vai confirmar o número exato. As informações são do G1.

Lázaro Barbosa estava sendo procurado há 20 dias. Uma força-tarefa com mais de 250 agentes foi montada para a captura do criminoso, que foi encontrado na segunda-feira (28) e morreu após a troca de tiros.

Ainda de acordo com a Polícia Militar, os tiros foram efetuados pelas pistolas Sig Sauer calibre 9mm, Taurus calibre 9 mm e um fuzil calibre .556. “Ele descarregou a pistola contra os policiais e não tivemos outra alternativa se não revidar”, afirmou o secretário de Segurança Pública Rodney Miranda em entrevista coletiva.

O cerco montado para capturar o fugitivo estava concentrado em Cocalzinho de Goiás, no entanto, moradores de Águas Lindas de Goiás, que ficava a 20 km do posto de operações, informaram à polícia de que Lázaro estava na cidade.

Conforme Miranda, o criminoso foi se encontrar com a ex-mulher e a mãe dela. Pouco antes de Lázaro ser localizado, a ex-mulher do fugitivo foi levada para prestar depoimento. “Ele foi se encontrar com elas [ex-mulher e sogra]. A informação é de que ele chegou lá, deve ter se alimentado e quando os policiais chegaram ele tentou fugir”, afirmou.

Após ser baleado, Lázaro foi levado por uma viatura do Corpo de Bombeiros para o Hospital Municipal Bom Jesus, mas morreu. O corpo dele foi levado ao Instituto Médico Legal (IML) de Goiânia.

Investigações

A ex-mulher e a ex-sogra de Lázaro Barbosa foram levadas para a delegacia de Águas Lindas de Goiás na manhã de segunda-feira (28). As duas prestaram depoimento e foram liberadas. A Polícia Civil está investigando se elas teriam ajudado o fugitivo.

“Se ficar comprovado que houve algum tipo de facilitação [para a fuga de Lázaro], os envolvidos serão presos”, afirmou o secretário de Segurança Pública de Goiás.

nda de acordo com o secretário, as investigações do caso continuam para apurar quem foram as pessoas que ajudaram o criminoso a fugir nos últimos 20 dias. Na semana passada, o fazendeiro Elmi Caetano Evangelista, ex-patrão da mãe do assassino, e o caseiro Alain Reis de Santana foram presos por ajudar Lázaro a se esconder.

Na delegacia, Elmi negou as acusações, mas o caseiro confirmou tudo. De acordo com o funcionário da fazenda, Lázaro dormiu no local por mais de cinco noites.

Fonte: istoe.com.br

Você pode gostar...