Brasil vence Venezuela e assume liderança isolada das Eliminatórias

Três jogos e três vitórias. O começo arrasador do Brasil nas Eliminatórias Sul-Americanas teve continuidade, ontem, com o triunfo por 1 a 0 para cima da Venezuela, no Morumbi, pela terceira rodada da competição que leva ao Mundial de 2022. O gol marcado por Roberto Firmino fez a Seleção igualar o início da campanha para a Copa de 1982, quando venceu os três primeiros jogos das Eliminatórias pela última vez.
Na noite desta sexta-feira, 13, a Canarinho não levou sustos, mas encontrou um adversário que se defendeu bem e dificultou o jogo. O reflexo disso foi o placar magro, com gol só no segundo tempo.
Agora com nove pontos, o Brasil é líder de forma isolada. A Seleção volta a campo na próxima terça-feira, quando enfrenta o Uruguai, em Montevidéu, pela quarta rodada das Eliminatórias. A partida está marcada para às 20h (da Bahia).
Defesa em alta
O jogo começou com o cenário esperado, Brasil no campo de ataque e Venezuela focada em manter o zero no placar. Aos oito minutos o plano dos visitantes quase foi por água abaixo porque Richarlison balançou as redes após rebote do goleiro, mas a arbitragem encontrou um impedimento de Renan Lodi no início da jogada.
Nos minutos iniciais a Seleção apostou em bolas longas para chegar ao ataque. Foi assim que Marquinhos achou Lodi no lance do gol de Richarlison que terminou invalidado. Douglas Luiz também tentou a jogada em duas oportunidades, mas não estava com o pé calibrado.
Quando o relógio chegou aos 20 minutos o Brasil tinha quase 75% de posse de bola, mas passava dificuldade para conseguir finalizar. Os venezuelanos se posicionavam com todos os jogadores atrás da linha da bola e defendiam com afinco cada centímetro do gramado do Morumbi.
As ideias das duas seleções colocadas em prática faziam com que o jogo acontecesse quase que o tempo inteiro apenas no campo de defesa dos visitantes. Como o Brasil avançava com todas as suas peças, foi comum ver 21 dos 22 jogadores concentrados naquela metade do gramado. Apenas o goleiro Ederson seguia do outro lado.
Com 32 minutos a Canarinho conseguiu armar uma boa trama ofensiva pela esquerda, com Renan Lodi. O lateral caprichou no cruzamento para Gabriel Jesus, que apareceu na segunda trave e desviou para o meio da área, onde Richarlison escorou, mas mandou para fora.
Aos 38’ um passe errado na fase ofensiva gerou um raro contra-ataque para a Venezuela, mas a jogada não chegou a levar perigo para Ederson.Segundo tempo
O Brasil voltou para o segundo tempo com Lucas Paquetá na vaga de Douglas Luiz, e uma inversão no posicionamento entre Gabriel Jesus e Richarlison. O jogador do Manchester City passou a atuar mais centralizado e o atleta do Everton foi jogar pela direita.
Aos 21 minutos as mudanças fizeram efeito. Paquetá acionou Everton Ribeiro próximo à linha de fundo e ele cruzou na segunda trave. Renan Lodi brigou pela bola com o zagueiro venezuelano e a redonda sobrou para Roberto Firmino, que escorou no contrapé do goleiro.
Nos minutos seguintes Pedro e Everton Cebolinha ganharam minutos em campo, mas o placar não sofreu novas alterações no Morumbi.
BRASIL 1X0 VENEZUELA 3ª RODADA DAS ELIMINATÓRIAS SUL-AMERICANAS
Local: Morumbi, em São PauloGols: Roberto Firmino, aos 21 minutos do segundo tempo 
Árbitro: Juan BenítezAssistentes: Eduardo Cardozo e Milciades Saldivar (trio do Paraguai)Cartões amarelos: Douglas Luiz (Brasil); Cásseres, Machís e Rincón (Venezuela)
Brasil – Ederson; Danilo, Marquinhos, Thiago Silva e Renan Lodi (Alex Telles); Allan, Douglas Luiz (Paquetá), Everton Ribeiro e Gabriel Jesus (Cebolinha); Roberto Firmino e Richarlison (Pedro). T: Tite.
Venezuela – Faríñez; Feltscer (Mago), Osorio, Ángel e Roberto Rosales (Alex González); Moreno, Cristian Cásseres, Tomás Rincón e Machís (Savarino); Soteldo (Otero) e Rondón. T: José Peseiro.

Você pode gostar...