Estou inserido em 2 Grupo de Whatsapp onde o assunto principal é a política brasileira.

E como não poderia deixar de ser, o que mais se discute é sobre Lula x Esquerda x Direita x Socialismo x ex-governo do PT, prisão de Lula etc. Ou seja, assuntos bem atuais e explosivos da política tupiniquim.

Nestes mesmos Grupos tem umas 3 a 4 pessoas que a todo o momento despeja seu ódio às pessoas que admiram os EUA.

E eles costumam usar o termo chulo tipo: pagar pau para os americanos.

 

Daí um certo Ferdinan postou este texto:

Porque não lembrar de: Santos Dumont, José Braz Araripe e Fernando Lemos, Rogério Farias e Mário Araripe, Edson Mororó Moura…?

Não entendo porque alguns compatriotas habituam-se a falar do Brasil e dos brasileiros, enquanto “pagam pau pra gringo”.

 

Em RESPOSTA escrevi e postei este texto:

Ferdinan, nos anos 70 Juca Chaves falou: Não assisto filme nacional, sou patriota, mas não sou idiota.

Plagiando o artista brasileiro eu digo o mesmo, sou patriota, mas não sou idiota. E também não sou cego, não sou ignorantão, não sou burro, não sou adepto de ufanismo boboca e também, não sou idiota útil.

Os intelectuais socialistas odeiam os EUA. Um dos motivos é a inveja. Eles culpam os outros por seu atraso, seus erros e fracassos.

Assim sendo, a Elite Socialista tupiniquim tem que ter sua massa de manobra para dar-lhes votos, apoio e sustentação ao governo dos seus Líderes populistas.

No poder os Lulas, as Dilmas, as Gleisi Hoffmann, os Chicos Buarque, Caetanos etc. acham que têm algum cacife para criticar e confrontar a GRANDE Nação do Norte.

Mas voltando aos idiotas úteis.

E como formar uma manada subserviente? Doutrinando-a.

Como? Através do projeto hegemônico do Antonio Gramsci (o guru dos petistas) e do falido Método Freuriano do inútil Paulo Freire.

 

Ferdinan, provavelmente você faz parte da militância raivosa do PT.

Como te disse acima, EU sou patriota, mas não sou idiota.

Olha, sabe o que vem a ser Fita Cassete? Existiu até + ou menos os anos 90. Pois bem, nos anos 70 cheguei a comprar muitas delas para fazer minhas gravações musicais.

98% delas era da marca TDK e estava escrito nelas: Made USA, Made Japan e Made Germania. Quero te dizer que minhas fitas eram importadas e algumas nacionais.

As Fitas importadas que gravei a 40 anos passados estão todas em boas condições e reproduzem as músicas com a mesma qualidade de quando foram gravadas no ano de 1978 e 1979.

As fitas nacionais? Duraram no máximo 10 anos. Elas começaram a soltar um pó no cabeçote do aparelho e outras emperravam.

Então Ferdinand, para te agradar, e agradar à militância socialista eu tenho que ser patriota e comprar as porcarias Made Brasil e ter prejuízo, não é?

Prezado, na hora de comprar um produto de melhor qualidade, (qualquer pessoa que raciocina, até os socialistas que conseguem pensar) compram de qualquer um dos 4 cantos do mundo. Pode ser da China, do Polo Norte, da Patagônia ou até do Triangulo da Bermudas.

 

Você é milionário Ferdinand?

Provavelmente não.

Nós brasileiros como eu, pobres, subdesenvolvidos e pouco cultos nos achamos tão patriotas que até ameaçamos não beber Coca-Cola para ferrar a Economia dos EUA.

Porque não boicotamos também os Computadores e os Smartphones inventados pelos desenvolvidos americanos?

Já outros tipos de brasileiros, os ricos, alguns deles além de ricos são cultos, manda o patriotismo boboca às favas. Procuram usufruir o que há de melhor não importando se seja dos EUA, da China ou da Patagônia.

Brasileiro rico e culto em vez de frequentar a Broadway vai prestigiar esse nosso Teatro mambembe? Ora, ele pega um avião e voa até Nova Iorque. Lá ele terá (na Broadway) como opção boas peças.

Também em Nova Iorque se quiser ir a um museu pode ir ao Metropolitan ver obras de arte de um Claude Monet e Van Gogh. Se estiver em Paris pode visitar o famoso Museu do Louvre.

No mundo das Artes os EUA ou a Europa tem tudo de mais conhecido, admirado, avançado e sofisticado. Basta ter dinheiro e cultura para visitar seus Museus, Teatros, Bibliotecas etc.

Lembro-me que quando o FHC passou a presidência para o Lula ele embarcou para Paris e levou o Livro “Contrato Social” do Rousseau para ler no avião.

Deveria ter dado a preferência a algum livro do Paulo Coelho. Talvez por ser muito culto preferisse dar maior importância a um filósofo/escritor de importância universal.

Nós os pobres do 3º mundo temos que nos divertir e se conformar vendo Caetano cantar no seu horroroso inglês fajuto canções de músicos americanos e também sua chatíssima música “Leãozinho”.

Temos também a opção de ir ao Mercado Modelo assistir roda de capoeira ou ir ao Pelourinho ver shows de axé e batida de tambor.

Ótimos perfumes? As Xuxas, Sandy & Junior, Gugu e outros lançam suas marcas de perfumes e brinquedos de 2ª e 3ª qualidade e pedem para nós os pobres comprar, pois tem que valorizar produtos Made Brasil, não é Ferdinand?

Já eles provavelmente compram seus perfumes na França (Paris) e brinquedos para seus filhos nos EUA. Garanto a vocês que eles (Xuxa, Sandy & Junior, Gugu e outros) não usam perfumes de sua própria marca.

O Brasil é bom para quem tem muito dinheiro. E se tiver boa cultura, melhor ainda.

E em países de primeiro mundo ainda tem-se a vantagem de sair para passear com uma possibilidade muito pequena de ser assaltado ou assassinado.

 

E você Ferdinand, não é o primeiro que me questiona por admirar bem mais os países do 1º Mundo (principalmente os EUA) e os gringos.

Algumas vezes já fui tachado de puxa saco dos americanos.

Então escrevi este texto a respeito:

A PRÓPRIA MÍDIA É BAJULADORA DOS GRINGOS

Dizem que o Brasileiro tem que ter auto estima, ser patriota, criticam quem elogia a cultura estrangeira, acham que elogiar um ídolo estrangeiro é humilhação e bajulação.

Eu pergunto: E quando coisas tipo bajulação a estrangeiros, engrandecer personalidades estrangeiras, se humilhar aos estrangeiros… partem de jornalistas da mídia escrita e falada do próprio Brasil? Querem exemplos?

Nos anos setenta a revista Contigo deu esta manchete na sua capa: Ney Latorraca passa a noite com Raquel Welch. Quando se abre as páginas da revista simplesmente lá diz que o Nei jantou no mesmo restaurante onde estava a atriz americana.

 

Quando o Frank Sinatra veio cantar pela primeira vez no Brasil a mesma revista Contigo colocou em capa o seguinte: Tom Jobim revela vida íntima do Frank Sinatra.

 

Em 1984 o Mick Jagger veio ao Brasil e no salão do hotel, destinado à Imprensa, o mesmo chegou para a entrevista coletiva.

Rapaz! O qué, qué isso!!! O cara ficou em pé na frente da parede parecendo um deus e à sua frente uns quinze ou mais fotógrafos disparando seus mais de trezentos flashes.

Eu nunca esqueci esta cena. Lembro-me que o roqueiro ficava fechando os olhos de tanto flash. Parece que os jornalistas nunca tinham entrevistado alguém de tamanha importância, era o próprio deus em carne e osso.

Na época a Glória Maria entrevistou o Mick Jagger e se derreteu toda. Ficou tão emocionada que confessou que tinha concretizado um sonho, o sonho de algum dia entrevistá-lo. Ao ser beijada e beijar o roqueiro quase desmaia de emoção.

Nesta mesma época uma revista musical do Brasil coloca em sua capa com letras bem grande o seguinte: Mick Jagger desconhece a música brasileira.

 

Tem um jornalista que entrevistava personalidades nacionais e internacionais (acho que é Roberto Dávila). Ele falou que tem muitos artistas brasileiros que lhe pediam para serem entrevistados, talvez até de graça. Já o Alain Delon foi convidado, só que, o mesmo pediu 200 mil dólares de cachê e o jornalista não aceitou. Viu como o artista estrangeiro faz a diferença?

 

1988, Olimpíadas de Seul. O velocista Ben Johnson no auge da carreira e favorito para a prova dos 100 metros rasos. Lá em Seul, nossa rede de TV, a Bandeirantes, entrevista o Ben Johnson e o mesmo ao final da entrevista diz: Helô Bresil! Pronto, à noite no jornal da Band a primeira notícia sobre olimpíadas que esta rede de TV deu foi dizendo que o Ben Johnson tinha mandado um alô para o Brasil.

Como nos sentimos honrados com um simples alô de um atleta estrangeiro.

Viram? Pessoas formadoras de opinião colocando o pessoal lá de fora num pedestal. E aí? Que dizem? Quando sou eu um Zé povo que comento sobre o prestígio dos estrangeiros, me criticam.

 

Notaram que quando o Frank Sinatra, Liza Minelli, Julio Iglesias, Pavarotti e outras celebridades estrangeiras vinham ao Brasil o Roberto Carlos, Pelé e outras celebridades tupiniquins tiravam Fotos ao lado do cara e se sentiam realizados?

Quando cantores latinos estiveram e cantaram na Casa Branca o Alexandre Pires, após cantar chorou no ombro do Bush. Ele achou que estava diante de um deus.

Até o Lula no 1º encontro com o Bush sentiu-se nervoso. Eu percebi e também um colega de trabalho comentou-me.

 

Já perceberam que até um Grammy dedicado à música latina quando ganha por um brasileiro a mídia faz a festa como se tivesse uma grande importância? Reparem que os brazucas não concorrem com os americanos, eles lá separam e nos põe como latino.

E dizem que música é universal!

E tem mais, como a entrega do prêmio Grammy é televisionada reparem que na entrega do prêmio para o latino (os brasileiros) o cara não é chamado ao palco.

Lembro-me quando o Milton Nascimento ganhou o prêmio. Fique assistindo e nada do Grammy Latino. Já quase no final foi que o cara da TV falou que o Milton tinha ganhado.

Nos anos noventa eu achei muito cômico quando na semana da entrega do prêmio a TV Globo começou a anunciar a entrega do Grammy e na chamada dizia + ou menos assim: – Vem aí a festa pela entrega de mais um Grammy, Elton John, Milton Nascimento, Eric Clapton, Dory Caymmi… nesta próxima segunda você vai torcer por nossos ídolos.

Ao misturar os astros estrangeiros com os astros brasileiros nas chamadas dava a entender que os tupiniquins iam disputar pau a pau com os músicos estrangeiros.

O Santana é mexicano, ganhou o Grammy, mas foi concorrendo com os americanos. Já nossos músicos…

 

Vejam como a mídia nos faz inferior aos caras de lá: O Carnaval do rio traz muitas celebridades do exterior a custo zero para eles. As cervejarias pagam a conta.

Houve até um problema com o Schwarzenegger, pois o mesmo não queria vestir a camisa da cervejaria que estava lhe patrocinando.

Porque as caras não vêm por espontânea vontade e pagam a conta do seu próprio bolso?

 

Desde quando vim morar em Salvador, em 1969, percebo que a cada ano Celebridades estrangeiras viajam para o Rio de Janeiro para desfrutar, A CUSTO ZERO, do Carnaval Carioca. Lembro bem da Gina Lollobrigida, atriz italiana. Provavelmente o Alain Delon tenha vindo, não lembro.

Em anos atuais lembro-me de algumas celebridades.

Nos anos 70 não lembro quem bancava, provavelmente alguma Empresa privada e até dinheiro público, para tentar mostrar ao Mundo que o Carnaval carioca é tão bom e importante que, até celebridades internacionais comparecem para vê-los.

As cervejarias costumam bancar essas celebridades. Chegam aqui ao Rio e desfrutam o Carnaval em Camarotes da Brahma, por exemplo. Não sei se as Operadoras de Celular (mas, creio que sim) também promovem a vinda desses gringos para curtir o nosso Carnaval.

Como já escrevi acima, eles vêm a custo Zero. Que bom para eles.

Interessante notar que, desde quando a festa desperta tanta magia, tanta alegria, felicidade, empolgação e porque os gringos famosos e ricos não se interessam em curtir toda essa festa reprodutora de felicidade com gastos do seu próprio bolso?

Porque eles espontaneamente não saem dos EUA ou da Europa e vem curtir nosso Carnaval?

E tenho absoluta certeza de que, em grandes eventos festivos nestas duas partes do mundo eles não pagam um centavo às celebridades do Brasil para tê-los como convidados.

 

Ah, e o Carnaval de Salvador? Até já foi chamado pela Imprensa tupiniquim como a 8ª Maravilha do Mundo e todos os anos repetem MIL vezes que é a maior festa de Rua do Mundo.

Ao contrario do Carnaval do Rio o de Salvador não costuma receber Celebridades Internacionais.

Mas, como se diz que nada é impossível, em 2012 a atriz americana Sharon Stone veio a Salvador curtir a dita 8ª Maravilha do Mundo e claro, a convite do Camarote do Terra (o Provedor). Como se diz aqui em Salvador: o 0800 bancou tudo.

E mais, a festa carnavalesca de Salvador é a maior e melhor festa de rua do Mundo, mas muitas celebridades da Globo vem, MAS a custo Zero. Também bancados pelos milionários Camarotes.

Se não me falha a memória, em 2012, tinha até Coelhinha da Playboy em Camarote patrocinado pela Cerveja Devassa.

Devo dizer que estas Celebridades vestem o traje padrão (com o nome do Patrocinador estampado na roupa) dos seus financiadores.

“É divertido. É ótimo”, disse Sharon Stone sobre Carnaval de Salvador. E ela depois de comer, beber, dormir de graça e ser super bajulada vai dizer o contrario?

 

Voltando ao Carnaval do Rio de Janeiro, no de 2010 quem veio foi a Madonna. E, como convidada do Camarote do governador Sérgio Cabral. Sérgio Cabral, aquele corrupto que roubou milhões dos cofres públicos e recebeu outros milhões de propina. Com dinheiro publico pagou o banquete da Madonna.

Também no Carnaval de 2010 recebemos a patricinha Paris Hilton e claro, a custo Zero.

A Cerveja Devassa pagou a conta da socialite, atriz e modelo americana. E veio com o namorado que provavelmente também usufruiu do 0800. Diz na reportagem que a socialite será a estrela do Espaço Devassa , no Sambódromo, onde tocará um set de músicas no camarote da cervejaria.

Imaginem a fortuna que se gasta para sustentar o desejo destas celebridades americanas e européias. Desde a sua chegada no aeroporto até o hotel (Copacabana Palace), passeios, deslocamentos para os Camarotes, visitas às favelas com seus trocentos seguranças etc.

 

Devo lembrar que, a Paris Hilton foi embora após o Carnaval com fama de antipática. Vem, come, bebe e dorme com tudo pago pelos brasileiros e mais, é bajulada e assediada pela imprensa e pelo povo, MAS assim mesmo a patricinha (como é chamada) se mostra mal humorada.

Já no Carnaval carioca de 2012 foi a vez da atriz e cantora Jennifer Lopez. Com forte esquema de segurança, a mesma desembarcou no Rio de Janeiro para curtir o nosso Carnaval. Foi contratada pela Brahma.

Diz na reportagem que na sua chegada ao aeroporto ela sorriu para os fotógrafos. Como nos sentimos honrados com a presença de estrelas americanas.

E mais, como garota-propaganda a Cerveja Brahma lhe pagou US$2 milhões. Ela participou de um comercial da marca e visitou o camarote da cervejaria na Marquês de Sapucaí no domingo de carnaval.

Não precisa dizer que a Jennifer Lopez causou um tumulto em camarote da Brahma.

 

Lembrando que, nos Camarotes das Cervejarias tem muitas celebridades tupiniquins que também são pagos para promoverem a Marca da Cerveja, MAS, não têm o mesmo tratamento e prestígio das celebridades internacionais.

Tanto sim que, no Carnaval de 2013 a Susana Vieira reclamou da presença de Megan Fox em camarote.

Leia um pouco sobre o episodio e vejam como a Celebridade americana foi super bem tratada:

“Principal atração internacional no Carnaval 2013, Megan Fox provocou ciúmes entre artistas e celebridades brasileiros, que não receberam um décimo da atenção dedicada à atriz americana. A veterana Susana Vieira foi quem expressou mais alto o descontentamento geral. “Eu venho ao camarote da Brahma, mas não para ver a Megan Fox”.

Diante do espanto geral dos que a ouviam, explicou: “Grandes atores, grandes jogadores, grandes personalidades brasileiras vêm aqui, mas o patrocinador deve ter interesse em trazer a Megan Fox”.

Susana contou que a única estrangeira que já tietou no carnaval foi à cantora Madonna, convidada pela cervejaria em 2010. “Mas não deixaram eu chegar perto”.

Megan Fox chegou ao camarote pouco antes da meia-noite, quase ao mesmo tempo em que a Unidos da Tijuca entrava na avenida. Deixou-se fotografar por dois minutos e foi, então, levada para um canto isolado. Lá ficou por duas horas, exatamente, sem falar com ninguém, além do marido.

Desconfortável com o assédio, Megan mal olhou para o desfile. Passou a maior parte do tempo de lado, olhando para dentro do camarote, tomando a sua bebida preferida: água. Não comeu nada, não dançou, quase não sorriu, nem acenou para os fãs que pediam um gesto seu.

Tantos seguranças cercavam a atriz ao chegar, que muita gente se irritou. “Tá com medo de ser sequestrada?”, perguntou um convidado do camarote. “Vamos sair daqui pra não pagar de tiete”, disse outra, fugindo do amontoado de gente que cercava Megan.

A certa altura, o ator Rodrigo Santoro foi levado ao “cercadinho” onde estava a atriz. Não se conheciam. “Ela foi simpática”, disse. “Expliquei para ela o que é o desfile. Disse que é uma competição e que cada escola tem um tema”. Muito instrutivo, de fato.”

 

Pois é, eles são os Deuses do Olimpo, diante deles, nós do 3º Mundo somos apenas pobres mortais.

 

Continuando à nossa inferioridade artística e de bajulação eu pergunto:

Porque quando o Ivã Lins conheceu a Liza Minelli a mídia dá um destaque enorme e diz: – O Ivã tem prestígio no exterior basta dizer que a Liza foi ao seu show…

Ora, alguém importante tem que dar o aval para o músico brasileiro ser conhecido lá fora?

Notaram que quando o Tom Jobim morreu a TV Globo teve que repetir 300 vezes que o Tom cantou com o Frank Sinatra?

Então se o Tom Jobim não conhece o Sinatra não era ninguém na América e até no Brasil?

 

Finalizando, eu gostaria que você Ferdinand e outros Ufanistas tupiniquins, fossem atrás da Imprensa brasileira que sempre costuma bajular gente que vem lá de fora, e desse um carão neles.

Eu sou apenas um anônimo que não influencia em nada.

Os Formadores de Opinião são os grandes jornalistas, repórteres e apresentadores de TV.

Chore de raiva na presença deles. Talvez eles mudem de idéia e até esqueçam de endeusar Paul McCartney e Madonna para endeusar e elogiar Luan Santana e Anitta.

 

E te digo também:

Destas pessoas citadas por você (Santos Dumont, José Braz Araripe e Fernando Lemos, Rogério Farias e Mário Araripe, Edson Mororó Moura) conheço apenas um deles, pois, conhecer mesmo e até admirá-los, só pessoas de Mente Brilhante.

 

Edson Mororó Moura, quem é esse? Joga no Corinthians ou foi ministro do governo petista?

E esse José Braz Araripe? É cantor de Pagode ou canta Funk?

Bom, já ouvi falar em Santos Dumont. Aqui no Brasil o mesmo é tido como o pai da aviação.

Mas, conheço mesmo os Irmãos Wright, que em 1903 fez o primeiro voo em uma máquina mais pesada que o ar. Ou seja, foram realmente os inventores, os pioneiros da Aviação.

Em 1906 o Santos Dumont fez seu voo, três anos depois.

 

Ferdinand, você me aparece com esses ilustres desconhecidos querendo aplausos para eles?

Prezado eu aplaudo Mentes brilhantes, gente que contribuíram em algum feito para o bem dos seus países e até da Humanidade.

Ferdinand, esses que vou citar, eu, você e o mundo todo os conhece:

John F. Kennedy,

Marie Curie,

Bill Gates,

Margareth Thatcher,

Irmãos Lumière,

Abraham Lincoln,

Christiaan Barnard,

Isaac Newton,

Ronald Reagan,

Louis Pasteur,

Winston Churchill,

Alexander Fleming,

Luther King,

Albert Einstein,

Henry Ford,

Beethoven,

Aristoteles,

Akio Morita,

Jack Welch,

Mandela,

Adam Smith,

Carl Friedrich Gauss,

Golda Meir,

Konrad Adenauer,

Orville e Wilbur Wright,

Galileu Galilei,

Charles Chaplin,

Alexander Graham Bell etc.

Você pode gostar...