Justiça condena cinco pessoas acusadas de matar travesti Dandara no ano passado

Cinco pessoas foram condenadas, na madrugada desta sexta-feira (6), pelo assassinato da travesti Dandara Kethlen, a mais de 14 anos de prisão. O julgamento durou 15 horas, em Fortaleza, no CEará. Ainda cabe recurso da decisão. Dandara foi espancada e morta a tiros em fevereiro do ano passado, e todo o crime foi filmado pelos próprios agressores. O caso ganhou repercussão internacional. De acordo com a Folha, Francisco José de Monteiro Oliveira Júnior, que atirou duas vezes contra a vítima, foi condenado a 16 anos de reclusão, assim como Rafael Alves da Silva Paiva. Outros dois agressores, que não aparecem nas imagens, Isaías da Silva Camurça e Francisco Gabriel Campos dos Reis, foram condenados a 14 e 16 anos de prisão, respectivamente. O último condenado foi Jonatha Willyan Sousa da Silva, responsável por filmar as agressões, e segue foragido da Justiça. O grupo foi julgado por homicídio triplamente qualificado – motivo torpoe, meio cruel e uso de recurso que impossibiliou a defesa da vítima. A transfobia, discriminação contra travestis, transexuais e transgêneros, foi classificada como motivo torpe e considerada pelo júri.

Você pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *